quinta-feira, 30 de abril de 2009

DeMolay / Filhas de Jó


















Registrei com estas fotos hoje, na Assembleia Legislativa, quando aguardavamos a sessão onde seriam condecorados Lúcio Márcio Téles, Venerável Mestre da Loja Segredo e Paz, com o título de cidadão paraibano e Aderaldo Pereira de Oliveira, Grão-Mestre do Grande Oriente do Brasil-PB, com a Medalha de Epítacio Pessoa. O evento contou com a presença de várias autoridades da sociedade civil organizada, além dos DeMolays e Filhas de Jó que, pra variar, abrilhantaram o a cerimonia.



terça-feira, 28 de abril de 2009

Ontem ao Luar


Hoje João Pessoa passou por dois apagões e no segundo, por volta das oito da noite, como não tinha muita coisa pra fazer resolvi olhar para a beleza do céu que nos abençoa todos as noites e que perdemos a possibilidade da visualização devido luminosidade das cidades. Confesso que fiz uma digressão ! Belo como sempre o Cruzeiro do Sul, guiando navegantes, tentando em vão, se aproximar das Três Marias...Revivi os meus melhores dias da infância em jaguaribe. Alí não havia o que temer. Brincava solto na rua e com o único compromisso e chegar em casa antes da nove, tomar banho e lanchar, antes de dormir. Cultivo a amizade muitos amigos daquele tempo mas nos vemos pouquíssimo. Lembrei de uma música de Catulo da Paixão Cearense que tocava no rádio do meu avô, sempre na voz de Vicente Celestino, que embalava o meu sono. Bons tempos que não voltam mais. Brincávamos de garrafão,barra bandeira,cuscuz,futebol,voley,jogo de botão, carrinho de formula um, feito de lata de óleo,pião,coruja e faziamos dinheiro com carteira de cigarro. Hoje, os meninos vivem presos em casa, jogam vídeo game,computador,orkut e sempre vigiados pelos pais. Como disse Mário Lago; "Eu daria tudo que tivesse pra voltar meus dias de criança, eu não se pra quê que a gente cresce se não sai da gente esta lembrança"






ONTEM AO LUAR




Ontem ao luar
Nós dois em plena solidão
Tu me perguntaste
O que era a dor de uma paixão
Nada respondi, calmo assim fiquei
Mas fitando o azul
Do azul do céu a lua azul
Eu te mostrei, mostrando a ti os olhos meus
Correr sem ti uma nívea lágrima e assim te respondi
Fiquei a sorrir por ter o prazer de ver a lágrima
Dos olhos a sofrer
A dor da paixão, não tem explicação
Como definir o que só sei sentir
É mister sofrer, para se saber
O que no peito o coração não quer dizer
Pergunta ao luar, travesso e tão taful
De noite a chorar na onda toda azul
Pergunta ao luar, do mar a canção
Qual o mistério que há na dor de uma paixão
Se tu desejas saber o que é o amor e sentir
O seu calor o amaríssimo travor do seu dulçor
Sobe o monte a beira mar ao luar
Ouve a onda sobre a areia lacrimar
Ouve o silêncio a falar na solidão do calado coração
A pena a derramar os prantos seus
Ouve o choro perenal
A dor silente universal
E a dor maior que é a dor de
Deus Se tu quiseres mais saber a fonte dos meus ais
Põe o ouvido aqui na rósea flor do coraçãoposte a inquietação da merencórea pulsação
Busca saber qual a razão
Por que ele vive assim tão triste a suspirar...a palpitar...desesperação
A teimar de amar um insensível coração
E a ninguém dirá
No peito ingrato em que ele está
Mas que o sepulcro fatalmente o levará

sábado, 25 de abril de 2009

O Sábio Orador - Parte II

Me lembra em boa hora o mano Evanilton que o cantinho de trabalho do Noberto é tão bom que o incansável Lúcio Teles já vislumbra a possibilidade de sociedade para os seus paramentos. Faltando apenas os detalhes finais.

sexta-feira, 24 de abril de 2009

O Sábio Orador

Noberto é assim que o chamamos. Mas do largo de grande experiência de vida sempre nos diz que “Oh! Quão bom e quão suave é que os irmãos vivam em união". Ele sabe das coisas e nunca tem pressa em ensinar. Sua labuta nos serve de porto para água e cafezinho. Lá podemos ter a felicidade de encontrar o interminável Aguimar, Aniceto, Uirassú, Arnold, Aderaldo, Mazinho, Evanilton, Dagoberto, Ernando e até eu vez por outra dou minhas passadas. Exaltado do litoral ao sertão.Você é um homem de bem e merece respeito! E agora José?

terça-feira, 21 de abril de 2009

Farol do Cabo Branco



Desde a carta de Pero Vaz de Caminha até os dias de hoje muito deve nossa navegação a Hidrografia, ciência que é a parte da geografia física que classifica e estuda as águas do planeta.


Faz parte da canção do hidrógrafo o que destaco abaixo, que, inclusive, aos olhos do visitante mais atento poderá observar gravado em uma placa fixada no nosso Farol do Cabo Branco, ponto mais oriental das Américas, onde o sol nasce primeiro para os povos deste lado do planeta.


"Se marcares, ao largo, o lampejo
De um farol a mostrar o caminho,
Saberás ser o nosso desejo
Que jamais tú navegues sozinho."

sexta-feira, 17 de abril de 2009

São feriadão


Hoje a sair do trabalho percebi um número fora do normal de carros nas ruas e principalmente na BR 230, na altura do sonrisal. Como nunca é assim pensei que se tratava de um acidente. Devagar e de marcha em marcha, avancei parecendo até uma navegação de cabotagem. Adiante observei que não se tratava de intempérie alguma, exceto o número exagerado de carros a transitar pelo efervescente. Lembrei que estamos em plena prévia de feriadão e que nada mais funcionará dentro da normalidade... Antes, pra não dizer antigamente que é uma palavra que depõe contra os meus 42, ainda, não gostava muito deste período de inatividade pois me lançava a organizar e planejar o trabalho para dias, meses pra frente o que me rendeu muitos dos meus cabelos brancos e um bocado de noites de insonia. Hoje não, fico aguardando o 21 de abril, pensando que o 20 vai ser meio que facultivo e olhando aprevisão do tempo que coloquei aqui no blog. Praia,cerveja,livros,cama e nada mais que não sou de ferro. Seja bem vindo são feriadão!!!!!!

segunda-feira, 13 de abril de 2009

Paraibanês




Paraibano não fica solteiro... ele fica solto na bagaceira!
Paraibano não vai com sede ao pote... ele vai com a bixiga taboca!
Paraibano não vai embora... ele vai pegá o beco!
Paraibano nao diz 'concordo com vc' ... ele diz 'Né isso, homi!!!!'
Paraibano não conserta... ele Imenda!
Paraibano não bate... ele 'senta-le'a mãozada!
Paraibano não sai pra confusão... ele sai pro 'muído'!
Paraibano não bebe um drink... ele toma uma!
Paraibano não é sortudo... ele é cagado!
Paraibano não corre... ele dá uma carrera!
Paraibano não brinca... ele manga!
Paraibano não toma água com açúcar... ele toma garapa!
Paraibano não engana... ele dá um migué!
Paraibano não percebe... ele dá fé
Paraibano não vigia as coisas... ele pastora!
Paraibano não sai apressado... ele sai desembestado!
Paraibano não aperta... ele arroxa!
Paraibano não usa zíper... usa 'riri'!
Paraibano não dá volta... ele arrudêia!
Paraibano não espera um minuto... ele espera um pedaço!
Paraibano não é distraído... ele é avoado!
Paraibano não fica encabulado... ele fica todo errado!
Paraibano não passa a roupa... ele engoma a roupa!
Paraibano não ouve barulho... ele ouve zuada!
Paraibano não acompanha casal de namorados... ele segura vela!
Paraibano não rega as plantas... ele 'agoa' as plantas
Paraibano não é esperto... ele é desenrolado!
Paraibano não é rico... ele é estribado!
Paraibano não é homem... ele é macho !
Ô orgulho réi besta!!!



Com ajuda de Josivan - Mestre Conselheiro do FSF

quarta-feira, 8 de abril de 2009

Convite - Poeta Guilherme Sarinho



No próximo dia 16 de abril de 2009, quinta-feira, acontecerá o lançamento do livro ANTES QUE O VENTO PASSE do Poeta, Médico e Maçom GUILHERME TRAVASSOS SARINHO. Ocorrerá na Fundação Casa de José Americo à Av. Cabo Branco,3336 - Cabo Branco - João Pessoa-PB às 18:30h .Trata-se de uma obra literária onde aflora o conhecimento e sensibilidade do autor.

sexta-feira, 3 de abril de 2009

O escorpião é o cágado




Existem pessoas que por mais que sejam ajudadas, em desfavor da ação recebida, só sabem expressar como gratidão, além do azedume, a maledicência, a inveja, o ódio...O planejamento traiçoeiro executado na surdina. Existem pessoas que só pensam no hoje. Nunca se lembram do ontem e na certeza do amanhã.... Não podemos cobrar um comportamento sensato para este tipo de personalidade. Lembrei de uma parábola que me foi contada pelo amigo Antonio Zeferino em Arapiraca-Alagoas. Tem gente que por mais que receba ajuda só se porta em posição contrária ao agente do beneficio recebido.






"" Um cágado estava prestes a atravessar o rio e observou na margem um escorpião tentando fazer a travessia mas como não tinha nascido com a dom para tal feito ficava esperando chegar a época da seca para poder ir ao outro lado.... Perguntou o Quelônio - Amigo escorpião o senhor deseja uma carona para ir até o outro lado? Sim, respondeu o aracnídeo. Estou tentando a meses fazer este percurso mas tenho medo de morrer afogado. Então suba no meu casco que eu terei o maior prazer em levá-lo ao destino desejado.



Porém, no meio das águas profundas o escorpião sem expressar nenhuma forma de remorso e de forma surpreendente, desferiu os seus mortais ferrões contra o pescoço do prestimoso nadador. Ao sentir o golpe questionou o cágado.... Senhor escorpião por qual motivo fez isto comigo que tanto só quis ajudar ? E agora como vai fazer ? Sabes que eu vou morrer e que o senhor vai se afogar? - Exclamou o escorpião........ Me desculpe ! Eu sei do mal que fiz e das consequências, inclusive do meu afogamento. Mas porque fez isto comigo ? - Novamente questionou o cágado já agonizando. É que faz parte da minha natureza.... Respondeu o escorpião. ""