sexta-feira, 31 de julho de 2009

Acácia Amarela / Gonzagão


Lembro como se hoje fosse... Estava prestes a ir assistir um show de Luz Gonzaga no Espaço cultural mas soube na véspera que havia sido cancelado devido ao seu precário estado de saúde. Pouco tempo depois faleceu e deixou orfãos todos os forrozeiros. A cultura popular nordestina deve muito a este homem simples que dentre muitas, escreveu a " Acacia Amarela" que qualifico uma das mais representativas canções deixadas pelo velho "Lua", levando inspiração a muita gente em toda superficie da terra. Abaixo poderá contemplar a canção da qual falo...







ACÁCIA AMARELA





Ela é tão linda é tão bela

Aquela acácia amarela

Que a minha casa tem

Aquela casa direita

Que é tão justa e perfeita

Onde eu me sinto tão bem

Sou um feliz operário

Onde aumento de salário

Não tem luta nem discórdia

Ali o mal é submerso

E o Grande Arquiteto do Universo

É harmonia, é concórdia

É harmonia, é concórdia.





Luiz Gonzaga e Orlando Silveira

Pornografia infantil


Pornografia infantil será punida com até dois anos de prisão



Os senadores aprovaram as emendas da Câmara dos Deputados a projeto (PLS 254/04) da CPI da Exploração Sexual que estabelece pena de até dois anos de prisão para quem produzir ou divulgar fotos pornográficas envolvendo crianças por qualquer meio de comunicação, inclusive a internet. O projeto vai agora à sanção presidencial.
O Plenário também aprovou projeto que reserva 10% das vagas em creches ou entidades equivalentes e pré-escolas para crianças com deficiência, que deverão ser atendidas por profissionais habilitados. A proposta (PLS 9/02), da senadora Maria do Carmo Alves (DEM-SE), segue para a Câmara.

quarta-feira, 29 de julho de 2009

terça-feira, 28 de julho de 2009

segunda-feira, 27 de julho de 2009

Fora Sarney... Como assim?


Vez por outra assisto a TV Senado e fico a imaginar quem será o último a apagar a luz após a provável saída do homem dos marimbondos de fogo. Engraçado é ver muita gente que tem as mesmas dificuldades e vícios do ex-presidente, solicitar aos berros, da tribuna, que ele vá embora e que siga o caminho dos lençoes para nunca mais voltar. - Fiquei me perguntando... Quem dentre aqueles acusadores ,exceto excelsas e raras almas, tem a verdadeira moral de pedir a saída do Sarney? Quem, dentre aqueles, resistirá a uma auditoria séria no seu histórico pessoal e profissional?


Lembra daquela brincadeira de que o último apagará a luz? Pois é! Quem vai ficar? Apenas as donas cadeiras, o senhor tapete, ilustríssimos senhores microfones, e o grande e eterno silencio pela falta de vergonha....... Lamentável! Pobre de nós, o povo brasileiro.

sábado, 25 de julho de 2009

O meu país


A música "O Meu país" retrata infelizmente o cenário atual que vivenciamos. Sinaliza a corrupção e miseria a que somos jogados pelo jogo do poder. Ninguem queira se enganar e apenas atribuir a criminalidade existente ao mero executor, que muitas das vezes por não ter o remédio no posto de saúde para o filho, pela eterna ausencia do Estado para com o que apregoa nossa Constituição(saúde,segurança,moradia,educação,etc,etc,etc...)se lança a ir buscar com a mão armada. É muito fácil dizer ao pedinte "Vá trabalhar vagabundo" mas tem um dia que o cidadão de bem de tanto ler nos jornais, de tanto escutar que o politico foi condenado pelo Tribunal de Contas a devolver milhões e milhoes de reais e que nunca devolveu nada, que chega o dia do desespero e que a casa cai. Por sorte, ou azar, o nosso povo é pacato, se estivessemos no Oriente Médio, onde se corta mão de ladrão como penitencia, ou não teriamos mais ladrões ou teriamos uma legião de manetas. Com relação ao autor ao compositor, é Livardo Alves, pessoense 1936/2002. Foi um jornalista e compositor que ficou imortalizado no cenário brasileiro por suas composições, entre elas a famosa marchinha carnavalesca; Marcha da Cueca (Eu mato, eu mato / Quem roubou minha cueca / Pra fazer pano de prato...). Suas canções foram gravadas por nomes consagrados do cenário musical, como Zé Ramalho, Vital Farias,Flávio José, Cátia de França, entre outros nomes consagrados. Morreu aos 66 anos.





Tô vendo tudo, tô vendo tudo

Mas, bico calado, faz de conta que sou mudo



Um país que crianças elimina

Que não ouve o clamor dos esquecidos

Onde nunca os humildes são ouvidos

E uma elite sem deus é quem domina

Que permite um estupro em cada esquina

E a certeza da dúvida infeliz

Onde quem tem razão baixa a cerviz

E massacram - se o negro e a mulher

Pode ser o país de quem quiser

Mas não é, com certeza, o meu país



Um país onde as leis são descartáveis

Por ausência de códigos corretos

Com quarenta milhões de analfabetos

E maior multidão de miseráveis

Um país onde os homens confiáveis

Não têm voz, não têm vez, nem diretriz

Mas corruptos têm voz e vez e bis

E o respaldo de estímulo incomum

Pode ser o país de qualquer um

Mas não é com certeza o meu país



Um país que perdeu a identidade

país que não tem capacidade

De saber o que pensa e o que diz

Que não pode esconder a cicatriz

De um povo de bem que vive mal

Pode ser o país do carnaval

Mas não é com certeza o meu país



Um país que seus índios discrimina

E as ciências e as artes não respeita

Um país que ainda morre de maleita

Por atraso geral da medicina

Um país onde escola não ensina

E hospital não dispõe de raio - x

Onde a gente dos morros é feliz

Se tem água de chuva e luz do sol

Pode ser o país do futebol

Mas não é com certeza o meu país



Tô vendo tudo, tô vendo tudo

Mas, bico calado, faz de conta que sou mudo



Um país que é doente e não se cura

Quer ficar sempre no terceiro mundo

Que do poço fatal chegou ao fundo

Sem saber emergir da noite escura

Um país que engoliu a compostura

Atendendo a políticos sutis

Que dividem o brasil em mil brasis

Pra melhor assaltar de ponta a ponta

Pode ser o país do faz-de-conta

Mas não é com certeza o meu país



Tô vendo tudo, tô vendo tudo

Mas, bico calado, faz de conta que sou mudo

quarta-feira, 22 de julho de 2009

Melhor viver do que morrer com câncer


Querer ver os bisnetos nascer revela um dos valores que mantêm a garra de José Alencar, apesar das cirurgias.



Brigando com o câncer há 12 anos, o vice-presidente José Alencar pediu, na semana passada, que o segurassem por mais tempo porque não queria perder o nascimento de seus bisnetos. Ainda teve disposição para uma brincadeira. Os médicos lhe perguntaram se ele queria ir ao batizado. "Não. Quero ir à formatura", respondeu.



Querer ver os bisnetos nascer revela, em essência, um dos valores que mantêm a garra de Alencar, apesar de tantas e tão dolorosas cirurgias. Sem saber, ele está comprovando uma experiência desenvolvida em hospitais de Nova York, onde se ensina pessoas a descobrir por que, mesmo com tanto risco de morte, valeria a pena aprender a viver.



Reportagem publicada na semana passada pelo jornal "The Wall Street Journal" relatou a experiência de uma terapia aplicada em pacientes com câncer avançado, baseada no livro "Em Busca do Sentido", escrito pela psiquiatra austríaco Viktor Frankl. O psiquiatra passou pelo campo de concentração, onde aproveitou para investigar como reagem as pessoas diante de sofrimentos extremos era, portanto, um misto de cientista e cobaia.



Conclusão: é mais fácil suportar as dores quando a vida faz sentido.



A experiência realizada em Nova York mostrou que o grupo de doentes submetido a sessões de busca de significado demonstrou, na média, menos ansiedade, redução da vontade de morrer e, portanto, menor incômodo espiritual.



Enquanto mergulhavam na vivência de Frankl nos campos de concentração, os pacientes deveriam refletir sobre o que vale a pena e dá prazer, como andar de bicicleta, caminhar pelo parque à tarde, ouvir um concerto ou admirar o pôr do sol.



Passaram, então, a se encarar não como pessoas que estão morrendo com câncer. Mas vivendo com câncer e, a cada dia, descobrindo novos significados.


Uma mulher, segundo o jornal americano, escreveu um livro sobre os sons de Nova York; outra, enfim, viajou para a Itália, apesar da quimioterapia. Um deles falou: "Vi que não precisava trabalhar tão duro para descobrir o significado da vida.Estava ao alcance da mão em qualquer momento que eu o olhasse".



Será que precisamos estar prestes a morrer para refletir sobre o que é essencial? Talvez aí esteja uma das grandes falhas do sistema educacional, baseado em resultados.



Educa-se para o fazer e não para o ser. Pior, educa-se para o sucesso, que, como todos sabemos, é superficial e passageiro. Não se educa para que cada um ache seu significado na vida, seja ele qual for o que implica várias medidas de sucesso. Por que alguém que é ótimo amigo, usufruindo do prazer da convivência, não pode ser uma medida de sucesso?



Vivemos o culto exacerbado da celebridade. Qualquer bobagem dita por uma celebridade, por mais superficial, ganha repercussão. Basta ver a imensa curiosidade sobre as trocas de estrelas entre SBT e Record ou o espaço obtido pelas entrevistas de modelos ou de atrizes e autores que não têm nenhuma história interessante para contar.



Nós, dos meios de comunicação, temos uma boa responsabilidade nisso, estamos cada vez mais reféns dos famosos, acompanhando vidas privadas como se fossem públicas e, não raro, vidas públicas como se fossem privadas.



Quem convive na intimidade com muitas celebridades sabe que, em sua maioria, são chatas, neuróticas, pilotadas pela vaidade e pelo sucesso e quase sem nada interessante para contar, acordam e dormem só pensando nos aplausos. Sem o sucesso, não são nada; Romário, preso na semana passada, por não pagar a pensão, é apenas patético.



O culto à celebridade fez com que um Lula já nem se incomodasse cada vez menos com o que fala, afinal, o que conta é o sucesso, como se garantisse impunidade. Na semana passada, ele elogiou Fernando Collor e, mais uma vez, sustentou as trambicagens do Senado. Tempos atrás, atacou a oposição no Irã.



Nada mostra melhor o culto à celebridade do que Michael Jackson -até seu funeral virou um show. Pelo jeito como morreu, sabemos que ele nem remotamente refletiu sobre o sentido de sua existência e não aprendeu a se preservar e, pior, é apresentado como modelo de sucesso a ser perseguido.



Quem sabe a obrigatoriedade do ensino de filosofia nas escolas não seja um gancho para se discutir por que vale a pena viver.



PS - Quem quiser conhecer melhor a obra do psiquiatra Viktor Frankl, acesse meu site. Seu livro é daquelas obras que ninguém deveria passar a vida sem ler.



GILBERTO DIMENSTEIN

Folha de S.Paulo 19 de julho de 2009
Crédito da foto:http://oglobo.globo.com/fotos/



sábado, 18 de julho de 2009

Jogo da vida


TOME CUIDADO, A VIDA MUDA O JOGO DE REPENTE...

Um homem de ferro

O boletim é assinado pelos médicos Paulo Hoff, Raul Cutait e Roberto Kalil, responsáveis pela equipe que acompanha o vice-presidente.
De acordo com a equipe médica, nos últimos dias, Alencar apresentou alterações clínicas e de exames de imagens e laboratoriais, sugestivos de obstrução parcial.
Pela manhã, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva visitou José Alencar e conversou com o vice-presidente sobre futebol, política e economia. Lula saiu do hospital sem falar com a imprensa.
Alencar luta contra o câncer há 12 anos. Em 25 de janeiro, o vice-presidente submeteu-se à mais radical intervenção desde a descoberta da doença. Em uma cirurgia de alto risco, com duração de 18 horas, os médicos retiraram tumores do abdome do paciente. Ele ficou 27 dias internado, nove deles na Unidade de Terapia Intensiva (UTI).
Em 12 de maio, exames de acompanhamento mostraram a volta de tumores na região abdominal. Alencar resolveu então submeter-se a um tratamento experimental nos Estados Unidos.
Fonte: http://www.ig.com.br/
Crédito da foto: Presidencia da República

sexta-feira, 17 de julho de 2009

sábado, 11 de julho de 2009

Crime do Rangel


Acordei esses dias e demorei a acreditar na informação vinda das ondas do rádio que dava conta sobre uma chacina no bairro do Rangel. Liguei a televisão e comecei a pular de canal em canal e realmente a desgraça estava confirmada. Comecei a pensar no que levaria um ser humano a trucidar uma família inteira. Confesso que fiquei mal. Do fatídico dia até hoje muitas coisas foram ditas; Uns querem queimar o algoz, outros desejam cortá-lo em cruz,um homem da tv fala em transformar a casa das vitimas em um santuário de oração,entretanto,o fato é que a Policia Militar foi eficiente e o agressor de uma forma ou de outra não mais caminhará na sociedade. Ele pois cabo a vida de dois adultos,três crianças, dois fetos e ainda tem um garoto no hospital de traumas e fora as sequelas produzidas no menino de 11 anos que materialmente saiu ileso, pois se escondeu debaixo da cama na hora da barbárie e sem falar na terrível transformação psicológica em todos os integrantes da família agredida.

Hoje, na boquinha da noite, fui comprar bolo de milho e pamonha, perto da padaria da Av. da Fraternidade, aqui no Cristo, e escutei uma conversa que se não fosse trágica seria cômica. Um camarada dizia ao outro; " Quem deu os caixões foi o Prefeito" o outro dizia ao um; " Que nada....O Prefeito da nada a ninguém. Quem deu foi o Vereador fulano de tal" . Esta conversa transcorreu em tom alto e cada um defendendo o seu político. " Não vi coroa de flores do vereador" disse um ao outro e assim foi se acalorando os assuntos até que surgiu um terceiro e disse; " Grande coisa, não interessa quem deu o caixão ou as coras o fato é que os caixões eram de caixas de tomate e isso é uma vergonha. Onde já se viu isso. Os caixões tinham que ser de boa qualidade" .

Esta discussão me levou a uma reflexão sobre nossa sociedade. O fato por trás de toda esta tragédia é que nossa sociedade vai demorar muito a tomar o verdadeiro rumo da consciência. Soube que filas se agigantaram no ginásio onde estavam sendo velados os corpos. Pouquíssimos para levar uma palavra de apoio aos familiares, ou fazer uma oração. A curiosidade era saber quem ficou mais machucado. Tudo isso é um problema cultural. Enquanto não atentarmos para o engodo a que somos levados onde salvadores da pátria vem de dois em dois anos pedindo voto e depois esquecem que o eleitor é gente, vamos ter uma sociedade sem cultura, com sub emprego, quando não desempregada,PSF sem remédio, ruas esbucaradas, miséria ,políticos desonestos, idem funcionários públicos e privados e vamos observar fatos como este aguardando apenas para desaparecer na sombra de um novo escândalo, sem que tenhamos tirado, apesar de toda dor, nenhum ensinamento, para que fatos similares sejam banidos da história da humanidade..

Deus nos ajude, tranquilize os espíritos desencarnados de forma tão estúpida, encaminhando com dignidade os sobreviventes desta família que sofreu um golpe tão profundo e mortal.
Créditos da imagem acima pertecem ao Jornal O Norte: www.onorteonline.com.br

sexta-feira, 10 de julho de 2009

Êita Diacho


Os presidentes Obama e Sarkozy apreciam a vista (?)
Jornais americanos, como o Huffington Post, questionam hoje a agência Reuters pela "Berlusconização" do presidente dos EUA, Barack Obama, que teria se encantado com traseiro de uma jovem carioca, de 17 anos, representante do Brasil na Cúpula Júnior 8, da Unicef, em L'Áquila, Itália, onde acontece o encontro de líderes dos oito países mais desenvolvidos do mundo e Rússia. A foto é um dos assuntos do dia na internet e contempla, segundo o HP, o velho estereótipo do afrodescendente atraído por uma branca e teria transformado o presidente americano numa espécie de novo Berlusconi, primeiro-ministro da Itália, envolvido em escândalos com mulheres. Um vídeo da rede ABC mostra que não seria nada disso, segundo o jornal. O presidente francês Nicolas Sarkozy, que também parece "conferir", cúmplice, o traseiro da jovem, estava muito mais interessado no assunto. Obama apenas ajudou outra jovem a subir as escadas, olhando de volta se todos estavam em segurança no degrau. Como um cavalheiro. Já Sarkozy... (veja).

terça-feira, 7 de julho de 2009

Esculhambação


Hoje meus amigos passei das 13:45 ate às 15,58 h na agência do Banco do Brasil de cruz das armas pra pagar um documento. O povo parecia até uma massa manobrada prestes a ir para um campo de concentração. Gerentes descompromissados e apenas quatros caixas para atender mais de 250 pessoas. Uma verdadeira esculhambação. Acredito até que este tipo de atendimento só é oferecido em cruz das armas por se tratar de um bairro periférico e com um povo que reclama pouco dos seus direitos. Estavam presentes muitos deficientes, idosos e aposentados. Observei tambem ávido gerente prestes a bajular um ricaço ou empalitozado qualquer que adentrasse a porta. Lamentável !


O melhor de tudo é o que informa o BB através do seu site:



História do Banco do Brasil
Com 24,6 milhões de clientes correntistas, 15,1 mil pontos de atendimentos em 3,1 mil cidades e 22 países, o Banco do Brasil é hoje a maior instituição financeira do País, atendendo a todos os segmentos do mercado financeiro.




Visão de futuro
Sermos o primeiro banco dos brasileiros no Brasil e no exterior, o melhor banco para trabalhar e referência em desempenho, negócios sustentáveis e responsabilidade socioambiental.

SEUS "POBREMA" SE ACABARO


segunda-feira, 6 de julho de 2009

Cássio x Cícero: uma dívida impagável ?

Existem duas “alianças” políticas na Paraíba que chegaram praticamente ao ponto final de suas histórias. Uma é a aliança entre o ex-governador Cássio Cunha Lima e o senador Cícero Lucena. A outro é entre o atual governador José Maranhão e o prefeito Ricardo Coutinho.
O fato mais interessante em tudo isso é que quando qualquer agente político da Paraíba trata de uma possível aliança entre Cássio e Ricardo, os ciceristas partem para “agredir” emocionalmente o ex-governador Cássio, afirmando que possível composição seria uma traição ao atual senador Cícero Lucena.
Sempre alegam os ciceristas aquela oportunidade em que Cícero teve de disputar o governo do Estado em 2002 com o apoio de José Maranhão, e começam a cobrar de Cássio fidelidade “canina”. Eles chegam afirmar que Cícero perdeu a oportunidade de ser governador. Esqueceram que, para isso, teriam que combinar primeiro com o povo.
Mas sempre eles esquecem que Cícero entrou para a política partidária pelos braços de Ronaldo, quando foi candidato a vice-governador em 1990.
Daí em diante Cícero ganhou musculatura, como ex-governador para disputar a prefeitura de João Pessoa.
Cícero também foi ministro do Governo FHC numa indicação do então governador Ronaldo Cunha Lima. Daí nasceu a amizade do caboclinho com o então ministro José Serra que até hoje é tão propagada.
Foi Cássio também quem ajudou e participou decisivamente na eleição de Cícero para o senado em 2006.
Quer dizer que a conta que Cássio deve a Cícero é impagável ???
Faço esse resumo para dizer que, a preço de hoje, essas contabilidades de dívidas políticas precisam ser zeradas e o jogo tem que começar do zero também.
Fabiano Gomes / 06 de Julho de 2009

sábado, 4 de julho de 2009

Sarney


Dinheiro e surra



Como diz o interminável Anacleto Reinaldo; "Se dinheiro e surra não resolver um problema é que foi em dose pequena".

sexta-feira, 3 de julho de 2009

Amigo cachorro



Diz a canção do Renato Teixeira sobre a amizade: "A amizade sincera é um santo remédio. É um abrigo seguro" ... Concordo em todos os aspectos ! Voce encontrar uma pessoa em quem pode compartilhar este nobre sentimento é muito importante. Estava ontem saindo do Banco observai, sob uma marquise, um filho de Deus, menos afortunado pela sorte, deitado ao relento, mas ao seu lado estava o seu cachorro. O totó é um amigo fiel e não abandona o seu dono. Voce já viu um mendigo vagando pelas ruas e sendo acompanhado por um gato? Claro que não ! Mas, tem gente que diz que a amizade entre o homem e o cão acaba quando o segundo souber dar valor a dinheiro. Pode até ser, mas sou daqueles que valoriza a amizade, a palavra dada....Coisas de outros tempos, mas o que fazer, eu sou assim.
"A amizade sincera é um santo remédio
É um abrigo seguro
É natural da amizade
O abraço, o aperto de mão, o sorriso
Por isso se for preciso
Conte comigo, amigo disponha
Lembre-se sempre que mesmo modesta
Minha casa será sempre sua
AmigoOs verdadeiros amigos
Do peito, de fé
Os melhores amigos
Não trazem dentro da boca
Palavras fingidas ou falsas histórias
Sabem entender o silêncio
E manter a presença mesmo quando ausentes
Por isso mesmo apesar de tão raros
Não há nada melhor do que um grande amigo."