segunda-feira, 30 de agosto de 2010

Revolta - Adelino Moreira




Hoje tão longe dos teus lábios sedutores

Sem o carinho dos teus beijos, meu amor

Não tenho horas de sossêgo em minha vida

Sou mais um barco que não tem navegador

Vivo perdido no passado dos teus beijos

Sinto o fantasma dos teus lábios junto aos meus

Beijo outras bocas pra fugir da tua boca

E sinto o gosto do sabor dos beijos teus

O desespero me tirou a consciência

E no delírio que me envolve esta paixão

Eu vou tramando no meu cérebro-nervoso

Uma maneira de magoar teu coração

É meu consolo acreditar que estás sofrendo

Em tua vida de prazeres e de louca

Beijando bocas, como eu, mas com saudades

Dos beijos que eu roubei da tua boca.

Adelino Moreira:

Nascido em Porto, Portugal, com um ano de idade veio para o Brasil, indo morar em Campo Grande, subúrbio do Rio. Aos 20 anos, começou a aprender bandolim, passando logo após à guitarra portuguesa. Seu pai era o patrocinador do programa Seleções Portuguesas, na Rádio Clube do Brasil, dirigido pelo maestro Carlos Campos, seu professor de guitarra. Sendo assim, conseguiu atuar em seu programa como cantor. Convidado por Braguinha, gravou seis discos na Continental nessa época. Em 1945, começou a tocar violão. Três anos depois voltou a Portugal, gravando canções brasileiras. Retornando ao Brasil, no início dos anos 50 intensificou sua atividade de compositor. Em 1952, conheceu o cantor Nelson Gonçalves e iniciaram uma intensa parceria. Em geral Adelino compunha e Nelson gravava, mas em algumas músicas como o bolero "Fica Comigo Esta Noite", os dois assinaram em dupla. A primeira canção gravada por Nelson foi "Última Seresta" (1952), seguida de inúmeras outras que passaram a dominar os discos do cantor – normalmente sambas-canções dramáticos – dos quais destacam-se o clássico "A Volta do Boêmio" (que vendeu a astronômica cifra de um milhão de cópias), "Meu Dilema", "Escultura", "Meu Vício É Você", "Doidivana", "Deusa do Asfalto", "Êxtase", "Flor do Meu Bairro", entre outras. A partir de 1959, a cantora Núbia Lafayette foi lançada como um Nelson Gonçalves de saias, cantando basicamente o repertório de Adelino, que a projetou com os sambas-canções "Devolvi" e "Solidão". Muitos outros cantores também gravaram as canções de Adelino, como Ângela Maria, que faria muito sucesso com os chá-chá-chás "Beijo Roubado" e "Garota Solitária" e os sambas-canção "Cinderela" e "Meu Ex-Amor". Em 64, Adelino rompeu com Nelson por algum tempo (quando lançou um clone vocal do cantor, Carlos Nobre), voltando às boas somente em 75. Em 67, atuou como disc-jockey na Rádio Mauá (RJ). Em 70, abriu uma churrascaria em Campo Grande, onde levou vários cantores famosos. Sua música mais famosa e mais regravada é "Negue" (com Enzo de Almeida Passos), que depois de ser gravada por Carlos Augusto, Nelson Gonçalves, Cauby Peixoto encontrou novamente o sucesso, graças a uma interpretação definitiva por Maria Bethânia no LP "Álibi" (1978). A música também foi regravada em 1986 numa versão punk pelo grupo Camisa de Vênus e em 1991 por Ney Matogrosso e Raphael Rabello. Em 1980, Ângela Ro Ro fez uma releitura de "Fica Comigo Esta Noite" — música que foi faixa-título do CD de Simone em 2000 — e em 1998 as irmãs Alzira e Tetê Espíndola reviram "Garota Solitária".


sábado, 21 de agosto de 2010

"Estou apenas observando..." Frei Betto






"Estou apenas observando..."

  Frei Betto


Ao viajar pelo Oriente, mantive contatos com monges do Tibete, da Mongólia, do Japão e da China. Eram homens serenos, comedidos, recolhidos e em paz nos seus mantos cor de açafrão. Outro dia, eu observava o movimento do aeroporto de São Paulo: a sala de espera cheia de executivos com telefones celulares, preocupados, ansiosos, geralmente comendo mais do que deviam. Com certeza, já haviam tomado café da manhã em casa, mas como a companhia aérea oferecia um outro café, todos comiam vorazmente. Aquilo me fez refletir: 'Qual dos dois modelos produz felicidade?'


Encontrei Daniela, 10 anos, no elevador, às nove da manhã, e perguntei: 'Não foi à aula?' Ela respondeu: 'Não, tenho aula à tarde'. Comemorei: 'Que bom, então de manhã você pode brincar, dormir até mais tarde'. 'Não', retrucou ela, 'tenho tanta coisa de manhã...' 'Que tanta coisa?', perguntei. 'Aulas de inglês, de balé, de pintura, piscina', e começou a elencar seu programa de garota robotizada. Fiquei pensando: 'Que pena, a Daniela não disse: 'Tenho aula de meditação!

Estamos construindo super-homens e super mulheres, totalmente equipados, mas emocionalmente infantilizados.

Uma progressista cidade do interior de São Paulo tinha, em 1960, seis livrarias e uma academia de ginástica; hoje, tem sessenta academias de ginástica e três livrarias! Não tenho nada contra malhar o corpo, mas me preocupo com a desproporção em relação à malhação do espírito. Acho ótimo, vamos todos morrer esbeltos: 'Como estava o defunto?'. 'Olha, uma maravilha, não tinha uma celulite!' Mas como fica a questão da subjetividade? Da espiritualidade? Da ociosidade amorosa?

Hoje, a palavra é virtualidade. Tudo é virtual. Trancado em seu quarto, em Brasília, um homem pode ter uma amiga íntima em Tóquio, sem nenhuma preocupação de conhecer o seu vizinho de prédio ou de quadra! Tudo é virtual. Somos místicos virtuais, religiosos virtuais, cidadãos virtuais. E somos também eticamente virtuais....

A palavra hoje é 'entretenimento'; domingo, então, é o dia nacional da imbecilização coletiva. Imbecil o apresentador, imbecil quem vai lá e se apresenta no palco, imbecil quem perde a tarde diante da tela. Como a publicidade não consegue vender felicidade, passa a ilusão de que felicidade é o resultado da soma de prazeres: 'Se tomar este refrigerante, vestir este tênis, usar esta camisa, comprar este carro,você chega lá!' O problema é que, em geral, não se chega! Quem cede desenvolve de tal maneira o desejo, que acaba precisando de um analista. Ou de remédios. Quem resiste, aumenta a neurose.

O grande desafio é começar a ver o quanto é bom ser livre de todo esse condicionamento globalizante, neoliberal, consumista. Assim, pode-se viver melhor. Aliás, para uma boa saúde mental três requisitos são indispensáveis: amizades, autoestima, ausência de estresse.

Há uma lógica religiosa no consumismo pós-moderno. Na Idade Média, as cidades adquiriam status construindo uma catedral; hoje, no Brasil, constrói-se um shopping-center. É curioso: a maioria dos shoppings-centers tem linhas arquitetônicas de catedrais estilizadas; neles não se pode ir de qualquer maneira, é preciso vestir roupa de missa de domingo. E ali dentro sente-se uma sensação paradisíaca: não há mendigos, crianças de rua, sujeira pelas calçadas...

Entra-se naqueles claustros ao som do gregoriano pós-moderno, aquela musiquinha de esperar dentista. Observam-se os vários nichos, todas aquelas capelas com os veneráveis objetos de consumo, acolitados por belas sacerdotisas. Quem pode comprar à vista, sente-se no reino dos céus. Deve-se passar cheque pré-datado, pagar a crédito, entrar no cheque especial, sente-se no purgatório. Mas se não pode comprar, certamente vai se sentir no inferno... Felizmente, terminam todos na eucaristia pós-moderna, irmanados na mesma mesa, com o mesmo suco e o mesmo hambúrguer do Mc Donald...

Costumo advertir os balconistas que me cercam à porta das lojas: 'Estou apenas fazendo um passeio socrático.' Diante de seus olhares espantados, explico: 'Sócrates, filósofo grego, também gostava de descansar a cabeça percorrendo o centro comercial de Atenas. Quando vendedores como vocês o assediavam, ele respondia: "Estou apenas observando quanta coisa existe de que não preciso para ser feliz !"





* Frei Betto

sábado, 14 de agosto de 2010

"Tenha sucesso: Método QPFC"






O texto abaixo não é meu mas achei interessante e resolvi postar aqui.... Espero que goste !




- Desenvolvi esta metodologia e faço uso deste método em treinamentos e palestras para demonstrar que através do uso desta metodologia é possível alcançar o sucesso na vida profissional e também na vida pessoal, o método QPFC consiste em quatro fases que são:



Q – Eu quero:


  • Em primeiro momento você precisa querer alcançar algo e nesta primeira fase é necessário estabelecer quais são estes objetivos para você e para sua vida, estabeleça os objetivos independentes do tamanho, seja fazer uma pós-graduação, seja comprar uma casa ou viajar para o exterior, não importa qual seja o seu objetivo, mas nessa fase é necessário estabelecer esses objetivos.
P – Eu posso:


  • Sim você pode! Nesse método é necessário criar as condições para que você consiga alcançar ou superar os seus objetivos, ou seja, pé no chão, na realidade e comece em primeiro lugar acreditando que é possível alcançar seus objetivos, depois identifique quais são as oportunidades que você não está aproveitando que poderiam estar ajudando na busca do seu objetivo, verifique se você possui todo o conhecimento necessário para subir mais esse degrau, se não tem todo o conhecimento necessário, busque este conhecimento. Uma ferramenta importante nessa fase é o planejamento, planeje tudo, todos os passos de cada etapa, coloque tudo o que você precisa fazer para alcançar todos os seus objetivos detalhadamente.
F – Eu faço:


  • Com os objetivos definidos e com todo o planejamento feito, agora é hora de colocar em prática, e é nessa fase que toda a ação faz a diferença. Tenha muita atenção e não descanse, logo após as primeiras ações é necessário analisar a maneira com que tudo está sendo feito, para que seja possível avaliar se o ritmo, direção e resultados obtidos estão alinhados para sucesso dentro do tempo previsto. Uma dica imprescindível nessa fase é tenha foco nos objetivos, adicione também a determinação e superação de desafios no seu dia-a-dia, pois é na prática que as ações podem ser sentidas, por isso é fundamental ter persistência.
C – Eu consegui:


  • É natural que algumas pessoas esperem que o sucesso venha fácil, ou que seja alcançado com poucas ações, mas é somente nessa última fase, a que mais tempo demora em aparecer, onde tudo se transforma, e nos mostra que o sucesso é resultado de muitas coisas, mas principalmente e fundamentalmente dessas primeiras três fases que são QPF (Quero, Posso e Faço).

    Autor: Giovanni Gobi

domingo, 8 de agosto de 2010

Lupicínio Rodrigues



Lupicínio Rodrigues foi um genio da nossa rica música popular. Suas canções estão eternizadas na cabeça dos amantes da qualidade. Ele conseguia falar do próprio fracasso com com versos belíssimos, vide "Nervos de aço" que reporta ter encontrado sua noiva de braços dado com outro homem. Contudo, é impressionante observar um homem simples expressar suas emoções de forma tão genial.