quarta-feira, 31 de agosto de 2011

Pelo Direito - Coletivo - De Ir e Vir








O texto abaixo é da Sílvia,reside em João Pessoa, estudante de Comunicação Social e que mantém um blog na Internet, que ao final, no rodapé, constará os contatos.
Trata-se mais uma vez de um grito de alerta sobre a postura daquele que detém o perfil de @LeiSecaJP no twitter. Venho e já faz algum tempo, inclusive foi bloqueado pelo mesmo, solicitando que não divulgue as investidas da policia, através das blitzen,no seu perfil. Sei que ele não produz as informações, mas repassa com a velocidade de quem deseja agradar a quem o alimentou da noticia, ganhando assim a possibilidade de ter mais seguidores. Quem se utiliza do perfil @LeiSecaJp tem prestado serviço interessante fazendo comunicações sobre o trânsito,buracos nas vias, ausência de tampas de esgotos, acidente, etc,contudo, deixa muito a desejar, e se vale da constitucional liberdade de expressão, para ficar retwittando aos quatro cantos sobre blitzen formadas para fazer verificações nos veículos e seus condudores. Ora, reclamamos tanto sobre a crescente violência, roubo de veículos,acidentes,assaltos,sequestros e quando temos o Estado, pago com o dinheiro do nosso imposto, fazendo a sua parte, através dos seus agentes, um infrator qualquer pode observar um determinado perfil na Internet,no twitter, e evitar passar em determinado local, pois ali, existe um comando policial. 
O proprietário do perfil @LeiSecaJp precisa ir ao velório de quem teve a vida interrompida por um condutor embriagado, para observar o tamanho da dor da família pela ausência irreparável. Deus o livre de sentir na família a falta de um ente, causada por um infrator que poderia ter sido detido em uma blitz.



 LeiSecaJP 




 LeiSecaJP 




 LeiSecaJP 




 LeiSecaJP 




 LeiSecaJP 




 LeiSecaJP 




 LeiSecaJP 



 LeiSecaJP 

Fica, então, o desejo do bom senso e que possamos unicamente seguir informando com a qualidade dos que desejam uma sociedade melhor e protegida.
Mário
" Tô numa festa, tomei todas. Antes de ir pra casa, dou uma entrada na internet através do meu smartphone e vejo pelo twitter onde tem blitz.  Pego a via paralela, cochilo e causo um acidente. A culpa é de quem? Bom, essa é uma questão ampla, mas vamos pelo básico. Sou irresponsável de tomar todas e mais algumas e ainda assim pegar no volante. O Estado é irresponsável de não ter uma legislação que iniba a minha atitude. E quem tá avisando onde estão as blitzen é irresponsável de me mostrar o caminho mais fácil de escapar da já frágil legislação vigente.

Reprodução/Twitter
É muito interessante ter um perfil no twitter que te ajude a evitar trânsito lento, congestionamentos e que te informe quais são os postos de gasolina que estão mais em conta. Mas se não fosse esse mesmo perfil, eu teria voltado pra casa pelo caminho mais óbvio e teria sido parada numa blitz. Simples assim. É irresponsabilidade errar e jogar a culpa no erro alheio, afinal uma coisa não anula a outra. Um erro não justifica o outro.

Que a lei precisa ser revista e modificada, é óbvio. Na verdade eu sequer entendo um país onde em via alguma você pode ultrapassar os 100km/h ter automóveis que chegam a 200km/h. O Brasil é frágil nesse sentido, mas ajudar essa fragilidade é insanidade. Quero ver o que o dono do perfil @leisecajp acharia se algum cidadão que tivesse escapado de uma blitz graças a ele causasse um acidente com o irmão ou a namorada dele. E se a pessoa morresse? Ainda assim ele defenderia essa atitude? Quer brigar com a legislação, amigo? Brigue, mas brigue de outro jeito, e não ajudando aos irresponsáveis da cidade a fugir da lei. Faça campanhas, bote a boca no trombone e cobre dos políticos as mudanças que você almeja.

Direito de ir e vir? Ótimo! Todos temos, mas eu tenho o direito de voltar pra casa sóbria e em paz sem me preocupar tanto com o cachaceirinho que pode estar no meu caminho graças ao esperto que avisou pra ele onde tem a porra de uma blitz"
* Silvia Peralta