sexta-feira, 31 de maio de 2013

SÍNDROME DE GUILLIN-BARRÉ

Muito cuidado. Parece dengue ou virose, dessas que o médico mal olha pra cara da gente, mas é mortal. Tem pouco mais de um ano que perdi um grande amigo por conta deste mal. Estava internado no Hospital São Vicente de Paula e toda situação indicava para uma virose, até porque o paciente tinha uma idade avançada. Entregue aos cuidados do Dr. Guilherme Sarinho e da sua filha, Drª Petunnia Sarinho, foi quando a Drª Pettunia fechou o diagnóstico. Tratava-se de uma síndrome rara, mas que vem eclodindo silenciosamente. Não precisa alarme, mas fiquem atentos. Só cura com imunoglobulina humana. 





síndrome de Guillain-Barré ou polirradiculoneurite aguda é uma doença desmielinizante caracterizada por uma inflamação aguda com perda da mielina(membrana de lipídeos e proteína que envolve os nervos e facilita a transmissão do estímulo nervoso) dos nervos periféricos e às vezes de raízes nervosas proximais e de nervos cranianos (nervos que emergem de uma parte do cérebro chamada tronco cerebral e suprem às funções específicas da cabeça, região do pescoço e vísceras).

  • Causa


A síndrome de Guillain Barré tem caráter autoimune. O indivíduo produz auto-anticorpos contra sua própria mielina. Então os nervos acometidos não podem transmitir os sinais que vêm do sistema nervoso central com eficiência, levando a uma perda da habilidade de grupos musculares de responderem aos comandos cerebrais. O cérebro também recebe menos sinais sensitivos do corpo, resultando em inabilidade para sentir o contato com a pele, dor ou calor.
Em muitas pessoas o início da doença é precedido por infecção de vias respiratórias altas, de gastroenterite aguda (por campylobacter) e antecedentes de infecções agudas por uma série de vírus tais como:Epstein Barr, citomegalovirus, HTLV, HIV, e diversos vírus respiratórios têm sido descritos. Em 2010, uma pesquisa realizada pela UFRJ, constatou que o vírus da Dengue poder ser um dos causadores (visto que 1-4% das pessoas com dengue desenvolveram a síndrome).

  • Manifestações clínicas


  • Dor nos membros inferiores seguida por fraqueza muscular progressiva de distribuição geralmente simétrica e distal que evolui para diminuição ou perda dos movimentos de maneira ascendente com flacidez dos músculos
  • Perda dos reflexos profundos de início distal, bilateral e simétrico a partir das primeiras horas ou primeiros dias
  • Sintomas sensitivos: dor neurogênica, queimação e formigamento distal
  • Pode haver alteração da deglutição devido a acometimento dos nervos cranianos XII, X e IX (relacionados com a deglutição), e paralisia facial por acometimento do VII par craniano (que inerva os músculos da face); a paralisia facial pode ser bilateral
  • Comprometimento dos centros respiratórios com risco de parada respiratória
  • Sinais de disfunção do Sistema Nervoso Autônomo traduzidos por variações da pressão arterial (pressão alta ou pressão baixa), aumento da freqüência ou arritmia cardíaca, transpiração, e, em alguns casos, alterações do controle vesical e intestinal
  • Alteração dos movimentos dos olhos decorrente de acometimento do III, IV e VI nervos cranianos e ataxia cerebelar (déficit de equilíbrio e incoordenação) associada a ptose palpebral (pálpebra caída) e perda dos reflexos sobretudo na variante Miller-Fisher
  • Assimetria importante da fraqueza muscular ou da perda de movimento, distúrbios graves de sensibilidade e disfunção vesical ou intestinal persistentes induzem questionamentos embora não excluam o diagnóstico

quinta-feira, 30 de maio de 2013

OSCAR SCHMIDT E A RESILIÊNCIA


Ontem soube sobre mais uma cirurgia a que o Oscar Schmidt fez no cérebro para cura de um câncer. Removeu um tumor e já faz uso de quimioterapia por via oral. Em entrevista ao Jornal da Record ele disse que vai bem, resistindo com resignação, e que  aguardará o tempo passar para ver o quanto esta dificuldade o afetará. Entretanto, teve uma frase muito importante e fantástica. Disse que espera ter vida até o mês de setembro próximo, que pretende ir aos EUA, onde receberá uma homenagem, dada apenas a poucos do esporte, e que seria bacana que a saúde permitisse participar deste evento, e complementou;   "ja vivi muita coisa boa, tive uma vida de sucesso, se não puder viajar, ou não viver mais, já tá bom demais". 

Esta frase esconde duas situações de forma subliminar. Primeira, ele não se deixou desesperar pela doença. Segunda, vai lutar até o fim.

Além do abismo, o desespero não leva a nada.

Como fica sua agonia por ter muitas contas para pagar? 



domingo, 26 de maio de 2013

A BOLSA FAMÍLIA, O FRANGO , E O DRAGÃO DA INFLAÇÃO.




No primeiro Governo de Lula, eleito em 2002, o preço do kg do frango era vendido nos supermercados por algo em torno de R$ 2,80.  Agora, no período atual, da Dilma, o mesmo produto é comprado por valores aproximados de  R$6,00 . Enquanto o povo se delicia com Copa do Mundo, Olimpíadas e Bolsa Família, os preços avançam e os escândalos eclodem em todos os setores do país.  O PT ressuscitou a inflação.

Quem duvidar é só ir fazer feira ou consultar o Google.

Estamos ao Deus dará.

sábado, 25 de maio de 2013

OS ENCANTOS DE MOCINHA



Bem que tento me lembrar dela como um todo, mas nos dias atuais, depois de mais de  cinqüenta anos, essa  é tarefa difícil. O jeito é  me satisfazer com alguns pedaços de memória que ainda  perpassam pela cabeça por onde circularam  tantos vultos de mulheres, umas lindas outras não tanto, mas  todas mulheres – essas magníficas representantes do que existe de melhor na raça humana.

Pensei em pedir ajuda a amigos mais velhos contemporâneos de Jaguaribe, porém, desisti porque certamente eles – bem mais afeitos à figura de Mocinha – iriam influenciar a crônica que espero, na simplicidade das palavras, possa efetivamente representar minha homenagem àquela figura de fêmea que enlevou os sonhos de muitos e que, ao que soube depois, saciou a sede  de poucos.
A beleza de Mocinha era típica daqueles tempos, com uma diferença que a fazia mais admirada: enquanto as moças ditas de família se vestiam bem e se arrumavam a seu modo, com banho de sabonete Eucalol e pitadas de perfume Coty ou Royal Briar, Mocinha não tinha direito a essas coisas. Ela se vestia de forma humilde e despojada o que me leva a crer, na mente confusa que ostento, que ela sequer era da família da casa vizinha à nossa. Estava mais para menina adotada ou alguém trazido do interior para morar com tios mais abastados.

Em verdade, Mocinha era uma fêmea de corpo inteiro e suas partes estavam bem dispostas nos seus devidos lugares. Cabelos longos e pretos caíam de vez em quando sobre o rosto  belo e anguloso, bem  enfeitado por uma boca carnuda e olhos castanhos, aparentando uma candidez que ela nunca teve. Ao contrário,  quem disse ter estado com ela em contatos mais íntimos, garantia  que ela era fogosa e meio difícil de saciar. Mas essas afirmações nunca foram confirmadas, primeiro porque Mocinha era inabordável e também porque na hora de provar os palradores corriam às léguas.

O seu corpo, para os padrões da época,  era perfeito. Isso é o que eu pensava nas raras vezes (o que sempre lamentei) em que, do alto de uma providencial mangueira,  a vi se ensaboando debaixo do chuveiro de cobre  que pendia de um tonel de água fria,  no banheiro improvisado do quintal de sua casa. Posso dizer que ainda hoje guardo a recordação daqueles seios pequenos e arredondados e das pernas torneadas que apareciam antes das coxas grossas e rijas, de onde se vislumbrava algumas penugens de um erotismo sem par.

Das outras partes, chamadas pudicas, reservo-me o direito de sobre elas não discorrer, pois este espaço embora livre, não permite que devaneios de outra ordem sejam criados ou alimentados, senão aqueles que já povoaram os sonhos da minha adolescência, em que Mocinha apareceu, sempre causando  o maior estrago nos meus lençóis.
Não sei se Mocinha ainda habita este mundo e o que foi feito dela quando a minha vida se despregou de Jaguaribe. Não sei se chegou a se casar,   se descasou, se teve filhos e se tem netos – pouco importa. O que vale mesmo é  que num desses últimos fins-de-semana, como por encanto, Mocinha reapareceu para mim.

E, eu que não sou tão egoísta, resolvo dividir com os homens do meu tempo, o prazer de desfrutar dos atributos de Mocinha, sem dúvida, uma encantadora mulher do século passado, daquelas que já não se fazem como antigamente.


domingo, 19 de maio de 2013

O DESESPERO, A BOLSA FAMÍLIA, E O BOATO.



O boato sobre o fim da bolsa família expôs a ferida do curral eleitoral, subliminarmente, a nova maneira de se comprar voto no Brasil.




QUANTO DINHEIRO É SUFICIENTE PARA O SUCESSO?



"David Rockefeller, célebre banqueiro norte-americano, patriarca da conhecida família Rockefeller. Filho de John D. Rockefeller, Jr. e neto do multibilionário magnata petrolífero John D. Rockefeller, o fundador da Standard Oil".

Como vimos, dinheiro não faltou na história deste homem. Certo dia um estudante de economia perguntou a ele quanto dinheiro era necessário a um homem para viver com conforto financeiro e se sentir alcançado pelo sucesso. A resposta foi simples e direta; "um pouco a mais do que se tem".

Eis o motivo da ânsia pelo vil metal.

sábado, 18 de maio de 2013

QUEM MUDOU, O BRASIL OU O PT?



Uma situação que nós não podemos negar é que se esse

leilão do petróleo tivesse sido feito por um governo tucano, 

as ruas estariam pegando fogo. É fácil ser estilingue e jogar 

pra galera quando se é oposição. Antes, o PT botava gosto 

ruim em tudo. 

Quem mudou, o Brasil ou as vozes do Partido dos 

Trabalhadores? 


Faça o que eu digo, mas não faça o que eu faço...

domingo, 5 de maio de 2013

NÃO TEM COMO RETER TALENTOS



Que os jovens se tornem donos do próprio futuro. Um dia eles terão que partir, cumprir  o próprio destino, mas levarão os seus Capítulos no coração e mente. Ninguém, eu disse ninguém, consegue reter o talento. O que tem que acontecer tem força.

Parabéns aos Capítulos Francisco de Souza Filho-266 e União e Beneficência-650.

Mantenham-se firmes.