sábado, 23 de novembro de 2013

A TRILOGIA DOS MÁRIOS


Tudo começou com este cidadão que passou a bola pra mim, que passei pro Marinho. Se eu e Mário Neto amadurecermos com a presença de espírito, saberoria e e a forma de ver e pensar a vida que o babinho tem, já tá bom demais. Seremos três Mários exatamente iguais.

Nem sempre estamos tão juntos, mas a alma, esta universal viajante, não tem fronteiras. 

MAIOR EMERGÊNCIA MÉDICA DO NORDESTE PRECISA DO PADRÃO FIFA

O problema é que brasileiro se acostumou com pouco ou nada. O Governo Federal só investe no que acha necessário para publicizar a imagem da Presidenta e esquece que neste País mora gente. Veja que paradoxo; Em Pernambuco, Estado que a maior emergência médica do Nordeste padece, tem estádio com padrão internacional para Copa do Mundo.  Lembrando o que disse a Dilma, no caso do condenado pela Justiça, o "doente" Genoíno, que a situação dele é questão humanitária, mas e como ficam os homens e mulheres do povo que necessitam de atenção? 

Pior, esta imagem poderá ser registrada em qualquer cidade do Brasil. 


Leiam esta matéria publicada hoje no site UOL...

- MAIOR EMERGÊNCIA DO NORDESTE TEM ACOMPANHANTE DORMINDO NO CHÃO E FALTA REMÉDIO.


Um relatório produzido pelo Cremepe (Conselho Regional de Medicina de Pernambuco) e pelo Sindicato dos Médicos do Pernambuco aponta que o Hospital da Restauração, no Recife, sofre com uma série de problemas como superlotação, falta de vagas para UTI (Unidade de Terapia Intensiva), deficiência no sistema elétrico e desrespeito aos acompanhantes de pacientes, que precisam dormir no chão.
O Hospital da Restauração é a maior unidade de atendimento de urgência e emergência do Norte e Nordeste com 723 leitos. O hospital realiza 23.000 atendimentos por mês, entre emergenciais e ambulatoriais, feitos por mais de 3.500 funcionários.
O relatório divulgado nesta quinta-feira (21) foi produzido após visita realizada na última segunda-feira (18). Os fiscais encontraram corredores e enfermarias superlotadas, com pacientes em cima de macas. Em alguns casos, é possível ver pacientes em macas praticamente encostadas nas outras por falta de espaço.
Segundo o documento, na área de traumatologia, por exemplo, havia 27 pacientes, quando a capacidade máxima é de 23. "Há 15 dias havia 57 pacientes", informaram as entidades.
O relatório também apontou para a falta medicamentos essenciais, como Tramal (analgésico para pessoas com dor intensa).
Porém, segundo o fiscal do Cremepe, Sylvio Vasconcellos, o problema mais grave do hospital é a precariedade da instalação elétrica. Ele disse que, por conta da sobrecarga, os plantonistas precisam escolher se ligam o monitor ou o respirador.
Na sala vermelha da clínica médica –destinada a atendimento de casos graves--, havia 10 pacientes internados há mais de 10 dias. "Eles deveriam passar o menor tempo possível no local", alerta Vasconcellos.
A sala vermelha também abrigava oito pacientes com ventilação mecânica, que deveriam estar na UTI. Além disso, só haveria uma pia, sem sabão, e a unidade não oferece condições de estar médico satisfatória.
Segundo o presidente do Cremepe, Sílvio Rodrigues, o problema das unidades de saúde pública em Pernambuco deve-se ao pouco investimento no setor.
"Tudo isso está atrelado ao financiamento, que também está atrelado ao governo federal. Precisamos discutir essa questão, pois senão essas unidades continuarão da mesma forma", disse.
"Todos os relatórios serão encaminhados ao Ministério Público, às secretarias, mas, além disso, vamos criar uma resolução sobre as condições mínimas de alojamento de emergência. Esperamos concluir ainda esse ano e encaminhar para as unidades", informou.

domingo, 17 de novembro de 2013

FUI E VI. GOSTEI! AINDA É POSSÍVEL...



Nasci num berço católico, mas minha consciência me levou ao kardecismo; que leio, estudo e acredito. Entretanto, onde existe o nome de Deus eu estou dentro, independente de religião. Eu sou assim! 

Na noite de ontem fui ao Busto de Tamandaré para assistir uma apresentação do Nani Azevedo, cantor gospel, que tem músicas bacanas. Na realidade depois vi que se tratava da comemoração dos 95 anos da fundação da Assembleia de Deus em João Pessoa. O evento alternava entre pregação de Pastores e canções do Nani.

Comecei a observar que haviam famílias integradas ao evento. Muita gente levou suas cadeiras, jovens cantando, crianças nos ombros dos pais, enfim, todos participando das coreografias e foi uma beleza.  A Policia Militar estava presente, mas não houve uma ocorrência sequer e, apesar da multidão, o trânsito fluía normalmente para um show daquele tamanho. Não vi nenhum garoto bêbado, caído ao chão, desafiando o bom sendo e a sua própria saúde. Não havia aquele clima de "Deus me livre" de quando algumas bandas vão tocar naquele mesmo espaço.

Ai me fiz uma pergunta... 

Até quando iremos aguentar esta situação em que estamos vivendo? O mundo passa por uma fase moral e comportamental complicadíssima. O respeito virou capacho do vale tudo e da crueldade do aqui e agora. Poucos pensam no futuro. Para muitos a família perdeu o sentido e a cada dia as drogas avançam no seio delas. 

Ontem vi que ainda é possível ter um ser humano melhor. Que ainda existe a tão dita luz no fim do túnel. 


terça-feira, 12 de novembro de 2013

ÁLCOOL E BEBEDEIRA: QUEM VAI PAGAR A CONTA?




Duas famílias vitimadas domingo passado pela manhã em João Pessoa.

Uma sepultará seu ente, terá que acostumar com a dor e saudade. Vai lutar pela condenação do causador da perda fatal.

Ja a outra, a do rapaz que provocou toda esta tétrica situação, que conforme o que andei lendo estava embriagado, vai, primeiro, tentar tirar o infrator do presídio, contratar um renomado advogado, e argumentar para desmontar as teses da acusação. 

Sem entrar no mérito da questão eu fico pensando nos dois lados. Quantos conselhos foram dados que não foram absorvidos?

Que esta horrível situação sirva ao menos para que se entenda que álcool não combina com direção e que conselho dos mais experientes não se ignora.

segunda-feira, 4 de novembro de 2013

POBRE NÃO SE CONSULTA NUM ESTÁDIO DE FUTEBOL






Sou contra investimento público em estádio e time de futebol. Esse segmento que crie gestão profissional e se banque.

Governar é atender as necessidades básicas dos contribuintes. Segurança, habitação, educação, saúde .... O pobre não se consulta num estádio de futebol.

Para coroar o derrame de dinheiro e ir pra galera, nos dias importantes, os enganadores, aqueles que fingem que gosta do povo, vão pros estádios, colocam fitinha na testa, e vestem a camisa do clube. Aproveitam, ainda, e levam os parentes e combinam com os capachos para tirar bastante foto no sentido de divulgar que gostam e se sentem bem onde tem gente. Entretanto, quando são procurados no gabinete sempre mandam um puxa saco dizer que estão em reunião e aquela aproximação interesseira vai pro quinto dos infernos. 


Tem mais, quando adoece alguém da família esquecem rápido que onde tem povo é um lugar bacana e levam os seus para um hospital particular, declinando o SUS, que só serve para novas fotos em época de eleição.

Pensando bem, o povo gosta de sofrer e bajular