sábado, 28 de novembro de 2015

"JOÃO, MEU FILHO NÃO ME OUVIU"

Estava comprando parafusos hoje pela manhã, no mercado da Torre, e um homem entrou na loja, diga-se de passagem, muito triste e amargurado onde murmurou isto para um amigo que lá estava:

"JOÃO, MEU FILHO NÃO ME OUVIU"

Perguntei sobre o que se tratava e me informei que daqui dois dias será a missa de um mês do falecimento do filho do amigo do João. 

Foi assassinado por conta do ouvido. Deixou de ouvir conselhos dos pais e da família. Se envolveu com os "amigos" da hora. Deixou um pai aéreo e perambulando pelas ruas. De quebra, se transformou em estatística.

Que tristeza!



quarta-feira, 25 de novembro de 2015

AMANHECEU


Por mais que dure a noite sempre vai nascer o Sol. Porém, tanto a escuridão da noite, quanto a luz do dia só aparecem com a permissão do Criador. Sendo assim, tudo vem através da vontade de Deus. Dias bons e outros nem tanto estão a nos proporcionar aprendizado e desafio. Fé em Deus e fé na vida.

Tudo passa!


domingo, 22 de novembro de 2015

BOLSONARO E O MAR DE CERCA ELÉTRICA


Independente do posicionamento ideológico do Bolsonaro, acredito que ninguém duvida que o Brasil precisa de um freio de arrumação; e dos grandes. Quem fica tranquilo tendo filhos tomando ônibus na lagoa, por exemplo, saindo da faculdade, ou até mesmo indo num barzinho com amigos? O formato que ele prega é estranho e sei que o caminho é outro, mas da forma que tá sobrará caminho? A policia é vitima e anda enxugando gelo. Prende e a Lei solta. Quantos relatos temos de marginais que foram presos 3,4,5 vezes em apenas um mês?
Sou pela ordem, custe o que custar.
Nas casas tem que ter paz, tranquilidade, pessoas felizes, mas o que observamos hoje é um mar de cerca elétrica e adesivos de empresas de segurança nos muros das residências. E é ai que o Bolsonaro cresce. Quem pensar diferente de mim poderá ajudar apontando um político, que tenha musculatura nacional, para se eleger e transformar nossas necessidades em realidade.


quarta-feira, 18 de novembro de 2015

É PRECISO SER DE VANGUARDA E TER NERVOS DE AÇO


Ricardo Coutinho é incansável. Parece não ter vida social e é predestinado. As vezes fico pensando como consegue. Aliás, como ele conseguiu administrar o Estado no fim do mandato anterior, onde estava inferiorizado na Assembleia e era pau na cabeça todos os dias. O mundo se acabando e ele parecia uma pedra de gelo, mas só ele sabe como superou. Foi preciso ter nervos de aço. Deu a volta por cima e tudo passou. O quadro hoje é outro. 

Já fiz algumas campanhas pra ele, já fiz campanha pra quem ele pediu, mas nunca o pedi nada, exceto que tomasse bem conta do dinheiro gerado através do imposto que pago. E nisso ele é craque. 

Nunca estive ou sou próximo, mas admiro muito este jaguaribense. 

Que Deus o conserve na plenitude da saúde, firme, forte e preparado, para que nunca fraqueje nesta caminhada que buscou. Se pudesse dizer-lhe algumas palavras eu diria: Parabéns; muito obrigado; prossiga!


terça-feira, 17 de novembro de 2015

A MORTE NÃO MORRIDA

Me lembrei do caso daquele senhor, que é pedinte nas ruas de João Pessoa: Conhecido como o "o velho do saco", morreu e foi ressuscitado, momentos depois, através do Whatsaap. O bacana é que ambos estão vivos. Um vive na Europa e o outro na solidão das noites das praias do meu lugar.


sábado, 14 de novembro de 2015

LIVARDO ALVES, O PONTO DE CEM RÉIS, E O ABANDONO DEPOIS DA MORTE.


Se vivo estivesse, certamente Livardo Alves não desejaria matar, apenas, quem roubou sua cueca pra fazer pano de prato. Ele estaria tiririca da vida com o que é forçado a ver, ai sentado todos os dias, no que foi seu local preferido. O Ponto de Cem Réis é o resumo de todo o centro histórico da cidade de João Pessoa. Tem casarão em completo abandono, monumento de Vidal de Negreiros que virou penico, pombos cagando na cabeça do povo e fazendo ninho em todo lugar, e é jogado a sua própria sorte por quem deveria cuidar. A Prefeitura de João Pessoa tem que zelar este nosso cartão postal, não apenas pelo ponto turístico que pode ser, mas por respeito a nossa memória e ao nosso povo.
Triste fim de Livardo!


domingo, 8 de novembro de 2015

CADÊ O DINHEIRO QUE TAVA AQUI?



Fantástico, o Show da Vida, tem um quadro com esse nome que coloquei no título. Manda um repórter para determinado município e começa a fuçar para descobrir onde o Prefeito gastou o dinheiro do povo. Geralmente apresenta gatunagem e aponta o nome do rato. Hoje, mostrou trambiques em Alagoas e no Rio Grande do Norte. Acho que ouvi o barulho de fogos quando foi para os comerciais. Será que esse repórter descobriria algo errado se viesse passar uns dias nos 223 municípios da Paraíba?


segunda-feira, 2 de novembro de 2015

ZÉ AMÉRICO, O HOMEM DE AREIA


A vida é assim mesmo, como diria José Américo de Almeida, o homem de areia, em A Bagaceira. 


"- Uma ressurreição de cemitérios antigos - esqueletos redivivos, com o aspecto e o fedor das covas podres."